Essa é pra você, que não conhece RPG!

Não foi agora que o RPG tornou-se um “jogo diferente” no Brasil, vamos conversar sobre isso!

O Jogo de Interpretação de Personagens, Role Playing Game (RPG) pode ser considerado um jogo de tabuleiro quando praticado por inciantes. Como cada jogo tem suas regras e formas de se jogar, o RPG tem as suas, contudo, possuindo certas diferencias.

– Started –

Tudo surgiu quando dois caras estavam jogando um jogo de guerra com miniaturas, um possuía uma enorme fortaleza e outro três soldados. O objetivo dos soldados era de ultrapassar a fortaleza e outro dar sequencia aos acontecimentos. Aqui começou a primeira aventura!

No ano de 1974 dois caras chamados Gary Gygax e Dave Arneson, registram pela primeira vez um jogo de RPG. Gary e Dave criaram o primeiro sistema de RPG denominado Dungeons and Dragons (Dragões e Masmorras) do que pra frente ia explodir o cérebro de muita gente!

Se quer saber mais a Historia de RPG, clique aqui.

Antes o RPG estava voltado nos dados, miniaturas e mapas. Assim podemos observar que tudo decorria como qualquer jogo de tabuleiro normal. Mas o que levou este jogo a fazer tanto sucesso na década de 1990 foi o inovador, a introdução de um modelo com varias formas de dados dados e o melhor: a interpretação, a atuação de um personagem frente a outros jogadores.

Dungeons and Dragons é um sistema voltado para a atuação de personagens dentro de um mundo medieval, com magias, reinos, dragões, masmorras e mistérios!

O desenrolar do jogo acontece com um mestre, três a cinco jogadores e uma aventura. Cada jogador cria seu próprio personagem, cor da pele, cor do cabelo, olhos, sexo, idade, opta por uma raça (humano, elfo, anão, gnomo, meio-orc entre outras) e inicialmente por uma classe (guerreiro, bárbaro, bardo, monge, mago, feiticeiro, ladrão, clérigo, druida, paladino e guardião). Cada jogador preenche todos esses dados em um folha especifica. Alem de criar, interpreta seu próprio personagem quanto aos hábitos, modo de falar dando assim identidade a um personagem com ideais, desejos e estilo de vida. Cabe ao mestre interpretar o resto dos personagens que não são jogadores, os chamados (NPC).

OBS: Três a cinco jogadores é um numero que considero ótimo de jogo, menos ou mais que isso pode limitar a aventura por falta de personagens ou deixar o jogo mais lento.

O Mestre (Master Dungeon) é o único que consegue jogar sozinho. Este será sucumbido em montar as aventuras (que também é jogar) alem narrar as situações nos encontros (conjunto).

 

O RPG com os anos foi ganhando fans e adeptos do jogo. Alguns autores relatam quanto aos benefícios de se jogar, como por exemplo a melhora da memoria, do raciocínio, de como resolver problemas postos em prova, e alguns fazendo link com a física. O que eu acho muito legal, entretanto, interpreto como um ganho secundário.

O RPG na minha opinião transcende qualquer jogo pelo fato de se utilizar a imaginação!

Esta é pra mim a mais bela essência do RPG, não são os dados, mapas, miniaturas e etc!

A capacidade de criar seu próprio universo, imaginar um cenário com os mínimos detalhes, isso que é magico. É você não só interpretar um personagem, é conseguir se sentir atuante em um mundo criado pelo seu próprio cérebro, um mundo só seu.

O RPG é a prova de que a nossa mente consegue criar coisas surreais e com esta capacidade, é possível se sentir em qualquer lugar onde quiser, seja ele real ou não.

Isso é lindo, indescritível e inimaginável por qualquer forma de texto ou expressão.

~Alexandre CobWeb~

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s