Por onde vai o conhecimento?

cabeça 01

Se olharmos para o rosto de um individuo qualquer o que vamos observar?

Os olhos, cabelos, nariz, orelhas, cor da pele, brincos, pintas, rugas, sobrancelhas e tudo mais!

Talvez até julgar qual o sexo, de acordo com as características e utensílios que observarmos!

Se realizarmos a mais superficial das secções, a retirada da pele (derme e hipoderme) o que vamos enxergar?

Encontraremos as fáscias, músculos, nervos, glândulas, linfonodos, artérias, veias e vasos linfáticos.

E ai, não iremos mais saber se é homem ou mulher.

Todas estas estruturas são responsáveis pela arquitetura não só do rosto, mas de todos os nossos segmentos corpóreos. Estas estruturas vão estar presentes em qualquer parte do nosso corpo, agindo de acordo com os processos fisiológicos e fisiopatológicos.

Mas o que difere da cabeça? Afinal, o que temos na cabeça?

Se continuarmos as dissecações e retirarmos todas essas estruturas citadas, encontraremos uma superfície lisa, em forma de abobada, com irregulares suturas, entretanto contínuas, ligando osso por osso até formamos o crânio. Uma estrutura em toda sua complexidade, rígida, feita principalmente de cálcio.

Em sua forma compacta e esponjosa, o crânio abriga e protege o encéfalo.

– Tá bom, mas o que é isso?

O encéfalo em suas várias divisões, cada área com suas funções, possuem um componente similar. Componente similar este chamado de neurônio. Os neurônios são responsáveis por gerar e transmitir impulsos elétricos, também chamados de impulsos nervosos. As transmissões de impulsos são trocas de informações que acontecem na fenda sináptica. Trocas de informações através da química, que dependendo da substância, seja ela a histamina, epinefrina, acetilcolina, glutamato entre outros, atingimos alvos específicos.

Essas informações não só alteram nossas respostas ao meio externo ou interno. Mas também nos conectam ao meio que nos cerca, que nós da sensibilidade e a capacidade de movimentar.

E não somente capazes de sentirmos e movimentarmos, conseguimos pensar.

cabeça 13

E com o pensamento, nós crescemos. Evoluímos.

Evoluímos através do conhecimento!

Esta imagem representa não só a comunicação entre os neurônios.

Esta sinapse é a representação de como nós conseguimos crescer. Tornarmos melhores. Mais hábeis.

Inteligentes.

O conhecimento adquirimos na Universidade.

O conhecimento é imutável e nós o evoluímos dentro de nós mesmos com os estímulos, esforços e a vontade de nos tornarmos melhores.

Alexandre Batista – CobWeb

Anúncios

Satanismo o que? É hora de ler mais sobre RPG!

Tema relacionado a o caso de Ouro Preto (2001), que até hoje trás repercussões negativas para os jogadores de RPG!

Pegue seu café e vamos conversar sobre isso!

– Started –

Um caso estranho ocorreu em uma das mais lindas cidades do estado Minas Gerais, Ouro Preto.

No ano de 2001, Aline Silveira Soares é encontrada morta.  O corpo em cima de um túmulo, com os braços abertos, pernas cruzadas e totalmente nua. A notícia estava fadada a fazer parte de todos os anais do Brasil.

Em Ouro Preto, jaz uma festa denominada Festa dos Doze, no qual atrai considerável publico de  fora do estado. Nada de conhecer nossas artes e tradições, Aline viria do Espirito Santo participar do evento com sua prima Camila e amiga Liliane, somente com a roupa do corpo e nada mais. Aline, prima e amiga ficariam hospedadas temporariamente na república Sonata até o horário do evento. Nessa mesma época moravam na república os estudantes Edson, Cassiano e Maicon. Sem meios, na noite de 14  de outubro, Aline é encontrada morta, com 17 facadas no corpo e deitada sobre um tumulo de cemitério. Ao lado do corpo, roupas cuidadosamente arrumadas e entre elas uma blusa suja de esperma. O caso vai para o Delegado Adauto Corrêa,  este, solicita investigação na republica Sonata.  Os policiais encontram livros de RPG e um ambiente que havia sido faxinado, nada fora avisado para que deixa-se intacto o local onde os estudantes moravam. Devido a falta de conhecimento por parte do Delegado e dos demais investigadores do caso, essas foram duas provas incriminadoras para a polícia de Ouro Preto. São considerados culpados: Camila, Edson, Cassiano e Maicon. Horas depois o exame toxicológico no sangue de Aline indicou uso de maconha.

Corrêa agora famoso e com a necessidade de ir adiante com o caso não leva em conta que ficou concordado entre os réus o fato de que Aline permaneceria na república para se hospedar e passava o maior tempo do dia fora. Não levou em conta também que o laudo técnico indicou somente uma pessoa a realizar o ato contra Aline, Adauto declara que não queria saber mais de provas e que já sabia quais eram os culpados.

Sem meios ao tempo e aos processos criminais, oito anos depois, o caso foi para juri popular deixando inocentados Camila, Edson, Maicon e Cassiano cessando a investigação caso.

Moral da história: ignorância e preconceito é que são os criminosos neste caso. Estes por parte de um delegado, em acreditar que o RPG poderia resultar em algo tão espalhafatoso.

O RPG (clique aqui), possui um papel cooperativo entre os jogadores e o Mestre (narrador da história) afim de garantir a diversão de todos. RPG não é competitivo, fato que tornou um jogo ideal para ser aplicado em processos educacionais em todo mundo. RPG também não é um jogo possível de se “perder” (uma vez que não há competição) e tampouco possui laços com satanismo.

Eis a minha pergunta, agora você sabe um caso que gerou uma repercussão enorme no nosso país, RPG como uma prática satânica. O que tem do “kpeta” ai? NADA.

O fato de um corpo aparecer no formato de cruz em um cemitério, com esperma em roupa e uso de maconha no sangue não indica vínculo de um jogo de interpretação com a prática satânica.

O fato de investigarem a casa, encontrarem os livros de RPG não são provas concretas de rituais vinculando o jogo com o Satanismo. O que também não descarta a possibilidade dos jogadores serem praticantes de Lúcifer. Porém, se qualquer um pegar um livro do assunto, vão encontrar logo nas primeiras páginas, os objetivos e a dinâmica do jogo.

AH, MAS E QUANDO SEU PERSONAGEM MORRE?

Simplesmente o ressuscitamos em jogo ou criamos outro personagem, de forma ao desejo do jogador e/ou do Mestre.

Nessa hora o ideal é trazer de volta o jogador para aventura. A morte de um personagem traz um desequilíbrio importante, por isso muitas vezes o ressuscitamos em jogo. Entretanto, deve os jogadores (com personagens vivos) e o mestre contribuírem de forma que suas ações dê a oportunidade de reinserção do mesmo jogador com outro personagem.

Infelizmente não só o RPG ficou com fama vulgar de Satanismo, mas também outros jogos, inclusive os de cartas. Discutiremos este assunto uma outra hora.

Já passou da hora de ficarmos acreditando nessas coisas pessoal!

Nem tudo é obra de Deus, mas tenho certeza que RPG não é coisa do Belzebu!

E você, o que acha?

 

~CobWeb~

As Três Fontes do Poder

Num passado nada remoto mas já algum um tempo atrás, eu mantinha o hábito de ir na casa de uma amiga. Combinávamos todos os amigos de irmos a casa dela para conversar sobre Fisioterapia, Culinária e Psicologia, isso quando não jogávamos jogos de tabuleiro (do qual eramos apaixonados). O pai dessa amiga era um engenheiro mecânico renomado dentro da sua área, entretanto se encontrava fazendo uma nova graduação, o curso Psicologia. Era um pai divorciado e estava sempre conosco, jogando, conversando e etc. Era um cara (Sr.) muito divertido e inteligente.

Uma certa vez, enquanto os meus amigos faziam uma lasanha de presunto e “mussarela” (muçarela), fiquei com o Sr. “X” conversando sobre equilíbrio psicológico, assunto este que ele mesmo começou. Sempre gostei de ouvir pessoas mais velhas, pois essas pessoas gostam de falar, e se sentem bem por isso. Então eu ganhava por dois lados, agradava-lhe pelo simples fato de ouvi-lo e também por estar adquirindo conhecimento.

Não me recordo ao certo todas as reflexões que ele me ajudou a fazer. Mas peguei a ideia principal do assunto que estava em pauta.

Nós temos Três Fontes do poder, em que estas, devem sempre estar em equilíbrio. Esse equilíbrio rege a nossa saúde mental deixando-a estável, quando essas fontes estão desalinhadas temos problemas diferentes.

Inicialmente o Sr. “X”, me fez a seguinte pergunta. – Alexandre, para você o que é necessário para a vida?

Vamos parar de ler este texto por instantes para pensarmos no que é importante para a vida.

Como um simples mortal eu disse tudo que veio na minha cabeça. Sem pensar fui falando de coisas que até então achava fundamental para se ter uma vida equilibrada. Em alguns quesitos eu acertei, mas não com o pensamento que ele queria me transmitir.

Bom, a primeira fonte do poder que o Sr. “X” falou, e particularmente julgou ser a mais importante é o “Conhecimento”. Devemos ter o poder do conhecimento. Todos nós temos um nível desse conhecimento, de forma que este não deve interferir de forma negativa para nossa vida. O que ele disse com isso, você não deve ser burro e nem o mais inteligente, você simplesmente tem que “conhecer”.

A segunda fonte do poder, por incrível que pareça é o “Dinheiro” (grana, como ele gosta de falar). Sim, a grana. Devemos ter dinheiro de forma que essa fonte não interfira de forma negativa nas nossa vidas.

A terceira e ultima fonte do poder é o “Afeto”, resumindo a toda forma de amor que um ser humano possa ter, seja através do animal, do companheiro, da religião, dos amigos e etc.

Essas três fontes do poder regem todo o nosso equilíbrio psicológico, são os nossos pilares da estabilidade.

No final da nossa conversa, o Sr. “X” ressalta que isso é um desafio para todos nós, pois, a maioria estará em desequilíbrio dessas três fontes. Por causa do Afeto? eu perguntei pensando em que todos nós iriamos ter mais “amor” do que dinheiro por exemplo. Não! Por falta do poder do conhecimento. E assim finalizamos a nossa conversa.

Aos passar dos dias mantive a nossa conversa na cabeça. E com as idas e vindas dentro do ônibus, colocava no meu celular um Pink Floyd pra escutar e refletia toda a conversa. Até chegar em uma conclusão pautável e lógica.

O conhecimento é o mais poderoso dos três, devido ao sentimento de emoção, ser pautado através das experiencias. Conseguimos através do conhecimento dirigir os nossos sentimentos e ficarmos firmes, não ficamos cegos quando o “Afeto” está elevado demais. O conhecimento também que vai reger nossos gastos, sabendo diferenciar do que é importante para se consumir e o que não é. A capacidade do pensamento e da reflexão está no Poder do Conhecimento.

O objetivo aqui não é reduzir um dos poderes para equilibra-lo em relação aos outros.

Os que estiverem lendo e entendo este texto são Poderosos no Conhecimento.

O objetivo deste texto, é evoluirmos junto com o Conhecimento, os nossos outros Poderes.

Por isso, não devemos somente nos restringir ao Conhecimento, Afeto ou ao Dinheiro durante a nossa vida.

Devemos, evoluir as três fontes de forma gradual, igualitária e constantemente.

~CobWeb~

Essa é pra você, que não conhece RPG!

Não foi agora que o RPG tornou-se um “jogo diferente” no Brasil, vamos conversar sobre isso!

O Jogo de Interpretação de Personagens, Role Playing Game (RPG) pode ser considerado um jogo de tabuleiro quando praticado por inciantes. Como cada jogo tem suas regras e formas de se jogar, o RPG tem as suas, contudo, possuindo certas diferencias.

– Started –

Tudo surgiu quando dois caras estavam jogando um jogo de guerra com miniaturas, um possuía uma enorme fortaleza e outro três soldados. O objetivo dos soldados era de ultrapassar a fortaleza e outro dar sequencia aos acontecimentos. Aqui começou a primeira aventura!

No ano de 1974 dois caras chamados Gary Gygax e Dave Arneson, registram pela primeira vez um jogo de RPG. Gary e Dave criaram o primeiro sistema de RPG denominado Dungeons and Dragons (Dragões e Masmorras) do que pra frente ia explodir o cérebro de muita gente!

Se quer saber mais a Historia de RPG, clique aqui.

Antes o RPG estava voltado nos dados, miniaturas e mapas. Assim podemos observar que tudo decorria como qualquer jogo de tabuleiro normal. Mas o que levou este jogo a fazer tanto sucesso na década de 1990 foi o inovador, a introdução de um modelo com varias formas de dados dados e o melhor: a interpretação, a atuação de um personagem frente a outros jogadores.

Dungeons and Dragons é um sistema voltado para a atuação de personagens dentro de um mundo medieval, com magias, reinos, dragões, masmorras e mistérios!

O desenrolar do jogo acontece com um mestre, três a cinco jogadores e uma aventura. Cada jogador cria seu próprio personagem, cor da pele, cor do cabelo, olhos, sexo, idade, opta por uma raça (humano, elfo, anão, gnomo, meio-orc entre outras) e inicialmente por uma classe (guerreiro, bárbaro, bardo, monge, mago, feiticeiro, ladrão, clérigo, druida, paladino e guardião). Cada jogador preenche todos esses dados em um folha especifica. Alem de criar, interpreta seu próprio personagem quanto aos hábitos, modo de falar dando assim identidade a um personagem com ideais, desejos e estilo de vida. Cabe ao mestre interpretar o resto dos personagens que não são jogadores, os chamados (NPC).

OBS: Três a cinco jogadores é um numero que considero ótimo de jogo, menos ou mais que isso pode limitar a aventura por falta de personagens ou deixar o jogo mais lento.

O Mestre (Master Dungeon) é o único que consegue jogar sozinho. Este será sucumbido em montar as aventuras (que também é jogar) alem narrar as situações nos encontros (conjunto).

 

O RPG com os anos foi ganhando fans e adeptos do jogo. Alguns autores relatam quanto aos benefícios de se jogar, como por exemplo a melhora da memoria, do raciocínio, de como resolver problemas postos em prova, e alguns fazendo link com a física. O que eu acho muito legal, entretanto, interpreto como um ganho secundário.

O RPG na minha opinião transcende qualquer jogo pelo fato de se utilizar a imaginação!

Esta é pra mim a mais bela essência do RPG, não são os dados, mapas, miniaturas e etc!

A capacidade de criar seu próprio universo, imaginar um cenário com os mínimos detalhes, isso que é magico. É você não só interpretar um personagem, é conseguir se sentir atuante em um mundo criado pelo seu próprio cérebro, um mundo só seu.

O RPG é a prova de que a nossa mente consegue criar coisas surreais e com esta capacidade, é possível se sentir em qualquer lugar onde quiser, seja ele real ou não.

Isso é lindo, indescritível e inimaginável por qualquer forma de texto ou expressão.

~Alexandre CobWeb~

l Tempo, Correção e Arrependimento l

Em meio à nossas nerdices todos nós temos sentimentos e por mais que tentamos esconder, às vezes não consigamos.

Hoje escrevo um texto diferente, dando dicas como se eu fosse o macaco velho da vez.

– Started –

E se a gente tivesse o poder de voltar atrás?

Quantas coisas poderíamos ter corrigido ou até mesmo só mudado o percurso.

Quantas situações ou consequências poderíamos ter evitado.

É triste, mas ninguém pode desfrutar desse poder paradoxal. Uma vez feito, jamais se pode mudar o passado.

Voltar no tempo não é algo válido, tentar refazer as causas e consequências é impossível.

Mas pra quem acredita em destino, tinha que acontecer né?

Para quem não acredita, seria o acaso, a junção das atitudes que nós mesmos realizamos e em momentos achamos o mais correto de se fazer.

Ninguém é perfeito, nem sempre era o mais correto de se fazer, mas há momentos que não conseguimos somente pensar em conjunto ou com razão, podemos até pensar nos outros, mas em algumas situações somos egoístas, buscando desfrutar do nosso próprio bem e depois nas pessoas.

O passado a gente não muda, mas é no presente que conseguimos refletir e observar as consequências.

Refletir nas situações que nós mesmos criamos é construir em nós mesmos pilares de perspicácia para as outras possíveis situações futuras semelhantes às vividas anteriormente.

É valido que com as decisões se causa consequências, entretanto, é válido também tentar concertar alguns dos danos.

Acredito na recuperação do ser humano, o errar também é uma forma de aprendizado, como já dizia um autor desconhecido “De tropeços, vitórias e quedas se constrói a experiência”.

Demonstro aqui minha queda e arrependimento.

E assim vou construindo minha experiência.

Um homem consegue aprender com o erro dos outros, mas se aprende muito mais quando o mesmo erra.

Despeço-me dizendo que, se você for feliz demais, é melhor voltar um pouco atrás, por que assim a alma não se satisfaz. Não deixa que as duvidas, pensamentos ruins ou desconfianças faz de você um indivíduo a tomar decisões favoráveis a um ponto e totalmente desfavoráveis a tantos outros.

É quando perdemos ou optamos por não mais ter, é que sentimos a falta e a capacidade de sentirmos completo quando aquele ou aquela estão ausentes.

“Guerreiros também choram”

Feira do Livro disponibiliza 10 mil obras por até R$ 15 na UEPB

A Universidade Estadual da Paraíba (UEPB), nesta ultima segunda-feira (22), criou um evento chamado “Livro é Cidadania”. Está já é o 5º evento deste gênero criada na Universidade. De acordo com o coordenador da Editora Universitária (EDUEPB), os livros estão sendo ofertados a partir de R$ 3 e ao preço máximo de R$ 15.

As obras foram publicadas por quase 50 editoras universitárias de todo o país. Somente a EDUEPB oferece 126 títulos, de vários escritores paraibanos. A feira conta ainda com a presença de grandes editoras universitárias, a exemplo da Unesp, a UFMG e a EDUFBA. Como programação paralela à feira, a EDUEPB realiza palestras, oficinas, encontro de autores e lançamentos.

Este evento irá acontecer no Hall da própria universidade até esta sexta-feira (26).

A notícia toda em: G1

Alexandre CobWeb na ArmadaNerd !

___________________________________________________________________________________

De ante mão, gostaria de agradecer a oportunidade de publicação na ArmadaNerd, site que espero que obtenha o sucesso e a divulgação que merece. Estarei com vocês para o que precisarem. O que começou com uma troca de divulgações está se tornando uma grande amizade e assim espero que continue !!!

Bom, meu nome é Alexandre Batista, tenho 21 anos, moro em Betim, Minas Gerais. Quando criança não era de gostar  de jogar bola e etc, sempre fui mais de ler os gigs da turma da Mônica, brincar de power ranger e lego, sem contar das minhas experiencias “científicas” com formigas, baratas e detergentes quando meu pai me deu um mini conjunto de frasco de química. Aos 11 anos de idade, eu e meu irmão ganhamos o primeiro computador, Pentium 3 com Win98! Rodava Pokemon (Fire, Blue e Yellow), Diablo 1 e WarCraft 2, dai pra frente comecei de vez a nerdisse de games.

Os anos se passaram e me transformei em um verdadeiro adepto dos jogos de RPG eletrônicos e de mesa/interpretação. Devido ao RPG, descobri meu verdadeiro gosto musical: Power Metal, Folk e o Melódico.

Sempre tive o SNES, GBC e o N64 dos quais até hoje tiro minhas inspirações para escrever e montar minhas aventuras, também sou Mestre de RPG.

Atualmente continuo com minhas nerdisses, lendo livros de literatura fantástica e jogando os Classic Games (< 2005), gosto muito e não me desgrudo deles! Estou cursando o oitavo período de Fisioterapia e isso me resume, por enquanto! =O

Devido ao convite, venho aqui dar uma “palinha” de meus textos (que são uma bosta) e divulgar o meu blog…http://thecrazymonstermansion.blogspot.com.br/ !

Vamos lá!

A DESTRUIÇÃO DO IMPÉRIO NEGRO

“Em um mundo paralelo, vive-se tempos difíceis, o mal está prestes a sucumbir todas criaturas tornando-as ingredientes de destruição, morte e caos.”

O LORDE NEGRO KIMBUS

  Segundos os antigos do mundo Aden, existia um guerreiro muito poderoso, poderoso o suficiente para enfrentar um dragão frente a frente. Ele era um guerreiro leal pela sua corte, desejava sempre o bem, humilde, vestia suas botas comuns e esfarrapadas, aos membros só se via a couraça feita pelos anéis de metal mais resistentes do continente, enquanto sua brunea abraçava seu peito, do mesmo lugar irradiava o símbolo do reino de Faloqs, duas destacáveis espadas douradas que sobrepujavam um circulo vermelho, tão vermelho que parecia ter sido pintado com seu próprio sangue. Os cabelos castanhos, esguios ao bater do vento cobriam-lhe até os ombros e uma barba rabiscava a face, muito pouco podia se ver do seu carismático rosto enquanto este usava um capuz tímido que muito lhe cobria.

Muito se sabe pelo seus feitos e daqueles que ele ajudou, seu único desejo era ser um líder, um comandante digno de suas tarefas. Mas algo o andava perturbando depois que  Dohaum, nomeado o novo líder do exército dos “Punhos de Prata”, o mais poderoso exercito que já fora visto no mundo de Aden ocupou o posto almejado por Kimbus. Kimbus era Major, pelo menos esse era seu nome e patente antes de se sucumbir as forças diabólicas de Hextor, O porta voz do inferno. Após ter o seu lugar ocupado por Dohaum, um ódio eterno penetrava no coração de Kimbus e cada dia que passava parecia que morria mais e mais daquele antigo guerreiro. Dohaum era um heroi, mas não superior a Kimbus, o que os difere são suas linhagens.

Dohaum é filho do príncipe de Robert, o Majestoso, enquanto Kimbus filho do antigo militar Cadaj, e a mãe, bem, muito pouco se sabe sobre ela. O que se sabia provavelmente foi perdido com o tempo ou escondido por seu pai.

Kimbus em meio a sua honra e ódio deseja partir, pois ainda tinha um pouco de lealdade ao seu alinhamento.

  Dohaum foi um grande militar durante a vida, honrou seus feitos, modificou as políticas militares, trocou o sangue pela negociação e durante anos poucas pelejas tiveram que ser feitas.

Anos se passaram e Dohaum morreu, e por algum tempo o posto de líder ficara vaga. A surpresa foi estrondosa com o surgimento de Kimbus, muitos anos após a sua ausência que tinha durado 174 anos. Todos se questionavam o que teria acontecido com Kimbus, algo existia de diferente na sua expressão. Poucos anciões tiveram a oportunidade de presenciar seus feitos daquela época e o lembravam vagamente, mas nunca o viram tão serio como naquele dia.

  Kimbus sendo objetivo, exige retomada seu antigo posto, que agora nas atuais políticas era um nível abaixo do trono do reino de Faloqs e que já não haveria outrem com um poder igual ao seu logo depois da morte de Dohaum, viria tomar algo por direito.
O presente rei, Sr. Xaad, surpreso com o parecimento do grande herói de antigamente. Recusa a oferta de Kimbus juntamente com todo o conselho.
Kimbus, agora com um rosto cinzento ri sorrateiramente e diz:
– Quer dizer que não aceitas minha oferta ó Grande Rei Xaad? Quer dizer que está dispensando os meus serviços?
Sr. Xaad responde:
– Lamento muito Grande Guerreiro Kimbus, mas recuso e o dispenso de seus serviços, anos se passaram e como pode estar tão vivo e rejuvenescido, algo só pode estar errado, muitos da sua época foram vencidos pelo tempo, inclusive Cadaj, Dohaum e muitos outros. Este reino é diferente agora, temos ideais diferentes, na maioria das vezes a substituição das guerras pelas negociações deram certo, estamos melhores, a luz de Pêlor nos guia.
Kimbus estressado diz:
– Sim, algo está errado, e este algo errado são vocês, todos vocês, construirei um império meu, um reino meu e espalharei toda a maldade que há em meu coração durante todos esses anos que Dohaum roubou de mim o que tanto batalhei para conquistar. E depois de destruir todos vocês, sentarei ai, neste trono e dominarei não só toda Faloqs mas também toda extensão de Aden.
De repente, começa então a emanar uma fumaça negra em volta de Kimbus, gritos horrendos e vultos surgem das paredes. Em meio a fumaça Kimbus desaparece, enquanto tudo volta ao normal, uma voz rouca assustadora surge do invisível e dizendo:
– Hextor vive em mim, o ódio durante todos esses anos também, tudo irá mudar, e todos vocês irão morrer…

______________________________________________________________________

LEITURA MELHOR QUE ESTA, SÓ NA ARMADANERD!

Um grande abraço para os leitores e toda galera do ArmadaCast (Incluindo a Bruddis xD)